Primeira missa do velório do Arcebispo Emérito Dom Luciano Cabral Duarte


“Foi um sacerdote, um pastor conforme o coração de Deus. Nos colocamos diante de Deus por tudo aquilo que que Dom Luciano realizou na história da nossa Igreja arquidiocesana de Aracaju e de Sergipe”. Foi dessa forma que o Arcebispo Dom João José Costa, iniciou sua homilia na primeira missa do velório do Arcebispo Emérito, Dom Luciano José Cabral Duarte, na noite desta terça-feira, 29 de maio, na Igreja de Jesus Ressuscito, no Bairro 13 de Julho, na Capital Sergipana.

Dom João fez um relato de algumas ações de Dom Luciano e lembro da conquista da UFS, o trabalho da reforma agraria através da Procase e do aumento das vocações sacerdotais, sendo o criador da oração pelas vocações, rezada por muitos pela Brasil a fora.

Padre Antônio Peixoto, em nome do clero, relatou sobre os sermões, a sua intelectualidade, o programa Hora Católica na Rádio Cultura, seu prestígio dentro e fora do Estado. "Era uma autoridade das mais supremas de Sergipe. Era um homem de uma sensibilidade muito grande, um homem amigo dos leigos não somente dos sacerdotes", completou o Padre Peixoto.

Sacerdotes e muitos admiradores participaram da primeira missa. O Professor Rivas, que foi seu aluno, destacou sobre seu perfil de Dom Luciano Professor. “Um professor nato, que nasceu com talento, com sua metodologia prendia toda a atenção dos alunos. Eu tinha o prazer, a felicidade de receber ensinamentos de profundidade de filosofia platônica”. O professor Rivas acrescentou: “Um figura exponencial, um talento que Sergipe vai carecer de apresentar daqui a muitos tempos”, completou.

O Padre José Farias, ordenado por Dom Luciano há trinta anos, emocionado, falou sobre a importância do Arcebispo Emérito em sua vida. “Hoje, agradeço a Dom Luciano porque dele herdei uma herança incorruptível. Lembro do que ele dizia sempre, partindo do seu lema sacerdotal, ‘sei em quem acreditei’ e dizia ele: Filhos tenham devoção a Virgem Maria e sigam em frente, nos momentos mais difíceis na vida clamem pela proteção dela” declarou Pe. Farias.

Outra missa foi celebrada na mesma noite e, nesta quarta-feira, na primeira hora da manhã, 7 horas, mais uma missa será celebrada, como também às 9 horas, às 11 horas e a última missa de despedida de corpo presente será as 14 horas, na Igreja Jesus Ressuscitado, de onde partirá o cortejo para o sepultamento que será por volta das 16 horas, na Igreja São Salvador, no Calçadão da Rua Laranjeiras, em Aracaju. Local que ele pediu para ser sepultado.