Igreja Católica, Corpo Místico de Cristo, Casa do Amor


Da leitura do Evangelho de São João, temos do Senhor: “Eu Sou a videira e vós sois os ramos” (Jo 15,5). O harmonioso conjunto desta belíssima alegoria é realidade da única Igreja de Cristo, por ser apenas um o Seu Místico Corpo, do qual somos os membros (cf. 1Cor 12,12-27), Sua Esposa.

No testemunho de São Pedro, o Papa, acerca da eleição ao que é distinto - como somos na nossa singularidade - temos a seguinte constatação: “De fato, estou compreendendo que Deus não faz distinção de pessoas. Pelo contrário, ele aceita quem o teme e pratica a justiça, qualquer que seja a nação a que pertença” (At 10,34). O ligame que une o diverso é a potência do amor de Deus que é derramado pelo Espírito Santo, que, numa só fé, nos faz viver no amor a Deus (expresso como temor do Senhor) e no amor ao irmão (traduzido por prática da justiça). Isso é o que une a Una Igreja, que é Católica por ser composta por muitas faces de todo o mundo. E não é Católica apenas por sua composição miscigênica, mas também por sua mensagem destinada a toda a humanidade, no cumprimento do querido por Jesus, que deixou a Sua missão como tarefa da Igreja, quando da Sua ascensão: “Ide, pois, ensinai todas as gentes, batizando-as em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Ensinando-as a observar tudo o que vos mandei” (Mt 28,19-20).

Percebamos como exemplo, ainda na Sagrada Escritura, o zelo, o amor pastoral de Pedro, que, na urgência da missão, não descuida de querer conceder a Cornélio e a sua família a salvação proveniente dos Sacramentos da Iniciação à Vida Cristã: o Batismo, a Crisma e a realidade da Eucaristia, que está subentendida pela visão que Pedro, antes de chegar à casa de Cornélio, tem (cf. At 10,9-16).

O Senhor, que faz conhecer a salvação e às nações sua justiça, recordando o Seu amor sempre fiel por Sua Casa (a Igreja Católica), pelos Seus (cf. Sl 97,2-3), também nos ensina a amar, inclusive pela cartilha dos Seus mandamentos, fazendo com que os que Dele nasceram, conheçam-No, inclusive na horizontalidade da fé pelo amor aos irmãos: “Amemo-nos uns aos outros, porque o amor vem de Deus e todo o que ama nasceu de Deus e conhece Deus” (1Jo 4,7). É interessante porque a lição dos mandamentos faz com que sejamos “parceiros” de Deus e dos outros; pois, amigos de Deus, permanecendo com Ele, sendo um com Ele, somos igualmente daqueles que, conosco, nas escarpas da vida, sobem a Deus pelos Sacramentos de Sua Igreja, num processo contínuo de aperfeiçoamento à altura Daquele a quem somos configurados. E foi para esta perfeição que Ele nos escolheu e nos designou a frutificar no campo do mundo, sempre unidos, entre nós, a Ele, formando uma só e mesma realidade: a Família de Deus, a Sua Igreja (cf. Ef 2,9).

Os ligames do amor e da fé devem unir os corações dos fiéis no desejo de serem reconhecidos pela prática da caridade, fazendo com que, quando voltar, o Senhor encontre os filhos de Sua Esposa Imaculada com as lâmpadas de suas vidas crepitantes da mesma fé e ornadas pela mesma caridade, tal como Ele nos ordenou. Esta é, pois, a lógica que move a comunidade cristã.

Padre Everson Fontes Fonseca é pároco da Paróquia Nossa Senhora da Conceição (Mosqueiro).

#PadreEversonFontesFonseca

Arquidiocese 

aracaju

de

Cúria Metropolitana da Arquidiocese de Aracaju

Praça Olímpio Campos, 228, Centro, Aracaju/SE - CEP: 49010-040

E-mail: comunicacao@arquidiocesedearacaju.org / Telefone: (79) 3216-3000