Peregrinação a Divina Pastora: Um caminho de sacrifício para pedir a intercessão da mãe Pastora


Celebrações, orações, louvores, penitências são marcas da peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora Divina Pastora, distante 44 km da capital sergipana, que durante o domingo, 21 de outubro, recebeu milhares de devotos de todos os cantos do Estado e de outros. O Arcebispo de Aracaju, Dom João José Costa, presidiu a primeira missa do dia, às 7 horas da manhã, levando aos romeiros sua saudação e mensagem de fé e esperança.

Os peregrinos percorreram mais de dez quilômetros para saudar a mãe pastora, agradecer e fazer suas suplicas, como foi o caso de Dona Marai Aparecida, da cidade de Laranjeiras, que por muitos anos faz esse sacrifício. “Participar dessa peregrinação é uma bênção! Sempre estou aqui para agradecera a mãe querida e pedir sempre a sua proteção”, exaltou Aparecida.

Dom João enalteceu a figura de Dom Luciano que foi protagonista principal dessa peregrinação que completa sessenta anos. “Um momento de experiência e graça de Deus, com expressiva participação de sergipanos e além-fronteiras. É um momento preciosíssimo onde nos encontramos verdadeiramente com a virgem Maria e com seu filho Jesus. Essa foi uma iniciativa muito gloriosa do nosso saudoso Dom Luciano Cabral, que só temos que agradecer a ele e outros que deram continuidade para chegarmos a comemorar os sessenta anos de realização”, destacou Dom João.

Padre Helelon Bezerra, reitor do Santuário de Divina Pastora fez uma narrativa histórica sobre a peregrinação e destacou a figura de Dom Luciano, que foi o criador da peregrinação e exaltou a pessoa do falecido padre Raimundo Cruz que, segundo ele, foi um grande propagador da peregrinação, levando a imagem de Divina Pastora para várias paróquias, divulgando o evento que ao longo dos anos passou a ser a maior peregrinação de Sergipe.

Dom Vitor Agnaldo, novo Bispo de Própria, que presidiu outra missa, participou pela primeira vez e disse ter ficado impressionado com a grande quantidade de peregrinos em uma cidade tão pequena. “Da minha terra natal, Bahia, sempre ouvia falar de Divina Pastora e, realmente, é uma grande festa”, ressaltou.

A última missa foi presidida pelo bispo de Estância, Dom Giovanni Crippa, encerrando as atividades da peregrinação deste ano, quando os romeiros receberam a bênção do envio, ficando a expectativa para o ano vindouro. Só para lembrar, Divina Pastora foi proclamada padroeira do Estado de Sergipe no ano passado.