Educação Salesiana - Religiosidade, Razão e Amor Educativo


Vivemos em um mundo profundamente marcado por transformações no campo tecnológico que desencadeiam mudanças significativas nas relações pessoais, familiares, políticas, econômicas, culturais e, também, com o transcendente. É o mundo da fluidez, da volatilidade e, a cada dia, gestamos e reproduzimos uma sociedade em tensão para o agora. E é justamente esse ponto que toca os jovens, percebidos, de forma geral, como aqueles que querem (e podem!) transformar o mundo.

A precarização do sistema educativo, o utilitarismo excessivo mediado pelas redes e a dificuldade porque passam as famílias diante dos ruídos dessa mudança de Era, faz-nos refletir com preocupação os caminhos pelos quais a juventude tem optado. Caminhos esses marcados por individualismo, ambição desmedida e isolamento social. Os tempos hodiernos têm-nos, apresentado patologias mentais como foco de combate de políticas públicas para a saúde em vários países. As periferias da alma também entram no espectro de observação quando falamos de Educação em perspectiva integral.

Já compartilhando dessa visão, no final do século XIX, Dom Bosco aconselhava os seus salesianos: “Quereis fazer uma coisa boa? Educai a juventude! Quereis fazer uma coisa santa? Educai a juventude! Quereis fazer uma coisa santíssima? Educai a juventude! Quereis fazer uma coisa divina? Educai a juventude!”

A preferência, urgência e escolha de Dom Bosco em educar os jovens se deram pelo fato de enxergá-los a partir de seu potencial e de sua essência, para levá-los a se tornarem “Bons Cristãos e Honestos Cidadãos”. Para isso, o seu método, o Sistema Preventivo, não foi cunhado para enquadrar e tolher o jovem, mas visava antecipar o bem, o justo e o belo através da arte, dos ofícios, da ciência e do seguimento dos valores do Cristo, o Bom Pastor. E este método, alicerçado na FÉ (religiosidade), RAZÃO (Ciência) e AMOREVOLEZZA (Amor Educativo) contribui para que o jovem realize seu Projeto de Vida e tenha entusiasmo pela vida e pela transformação do mundo.

É partindo desse princípio inspirador, que une a caridade pastoral e o desenvolvimento humano integral, que a Educação Salesiana volta-se às crianças e os jovens ouvindo-os e cuidando de suas necessidades, acompanhando-os e auxiliando-os na construção de seus Projetos de Vida. Nossa Educação traz o jeito que Dom Bosco educou: “ensinando e evangelizando”.

Como lenitivo para a individualidade e a indiferença, fazemos uma educação baseada na experiência do afeto e familiaridade, pois a experiência de ser amado é a fonte primeira para tornar a pessoa capaz de amar sem interesses. Por isso, Dom Bosco manifestava o seu desejo de que “os jovens não só devem ser amados, mas devem saber que são amados”.

Acreditamos que educação deve servir à formação. E neste sentido, a escola deve ser um lugar de encontro e de empenhos comuns entre educadores, alunos e família. Acreditamos que é neste lugar de encontro que aprendemos a ser sociedade, e, em sociedade, aprendemos a ser sociedade solidária. Educar para um mundo fluido nos coloca em desafio de desenvolver a humanidade no jovem e ajudá-lo no encontro com o transcendente.

Ana Paula F. Yajima é Coordenadora Geral Pedagógica – Salesiano Aracaju

Foto: Anderson Peralta (ASCOM/Salesiano)

#ColégioSalesiano #EducaçãoSalesiana #Amorevolezza

Arquidiocese 

aracaju

de

Cúria Metropolitana da Arquidiocese de Aracaju

Praça Olímpio Campos, 228, Centro, Aracaju/SE - CEP: 49010-040

E-mail: comunicacao@arquidiocesedearacaju.org / Telefone: (79) 3216-3000