Tempo do Advento


O Advento é um dos tempos que a Igreja celebra em seu ciclo ou calendário Litúrgico. E, por conseguinte, o Tempo do Advento abre o ano litúrgico e nos prepara para as festividades do Natal do Senhor Jesus, o Salvador da humanidade. Neste domingo, 2 de dezembro, começam as leituras do ano C.

Devemos entender que o Tempo do Advento é marcado pela simplicidade de elementos externos que tornam a celebração litúrgica mais sóbria, sem os excessos de enfeites e flores no ambiente litúrgico, e, ao mesmo tempo, estimula a profundidade da espiritualidade, que brota das orações e dos textos bíblicos.

Liturgicamente, a Igreja Católica não é um barco que fica à deriva. Ao contrário, em toda a Igreja se celebra uma programação rica nos mistérios da nossa fé. Assim, o Tempo do Advento é celebrado, obviamente, nas vésperas natalinas, ou seja, no período em que se espera o nascimento do Nosso Senhor Jesus Cristo.

Não será custoso lembrar que a palavra “advento” provém do latim e quer dizer “vinda” ou “chegada”. Eis, portanto, que vem a nós o Messias tão esperado. Chega-nos, na gruta de Belém, o Santo Menino, que nasceu excluído, pois seus pais terrestres não encontraram um lugar numa hospedaria que pudesse abrigar o Verbo de Deus que se fez carne e habitou entre nós (Jo, 1,14). Mas, aquele que foi excluído pelos homens, era exatamente o escolhido por Deus.

Neste tempo litúrgico, a Igreja quer avivar, em nós fiéis, a espera do Senhor que vem chegando com seu nascimento. Jesus não apenas já veio. Ele continua vindo e nos chega a cada dia. Que nós possamos abrir os nossos corações como novas manjedouras, para receber o Menino Deus.

Não se sabe com exatidão quando foi que o período do Advento foi introduzido na liturgia. De forma geral, a Igreja celebra o Natal no dia 25 de dezembro, mas nas tradições do rito oriental, pode ser celebrado no dia 06 de janeiro, data em que o Ocidente celebra a Festa dos Reis Magos.

Assim como no tempo da Quaresma, a cor de significância no Advento é a cor roxa, e isto se dá pelo motivo de que o Advento também é um tempo de espera, quase “penitencial”, mas que também transmite uma alegria. A alegria pela vinda do Salvador.

Mas com a cristianização e a evangelização através da Igreja, apresentando Cristo como Senhor de todas as coisas, Ele se torna o verdadeiro Sol. Agora, não se adora uma criatura, mas o Senhor de todas as criaturas. A coroa agora é a expectativa daquele que vem, que nasce para nos salvar. Via de regra este é o sentido deste tempo litúrgico: a vinda do Senhor por meio do seu nascimento, e com isso Ele nos traz a salvação.

Neste Tempo do Advento nós não celebramos apenas o passado. Celebramos o presente, pois Jesus Cristo nos vem todos os dias. A cada dia Ele pede abrigo em nossos corações. E assim Ele o faz para nos ensinar a acolher quem nos bate à porta. Jesus já veio e não para de vir a nós.

A celebração da vinda de Cristo nos prepara e nos fortalece para o futuro, para o final dos tempos, quando a sua manifestação gloriosa será completa e definitiva.

Jesus está em contínuo advento. Ele busca incansavelmente o caminho de nossas casas e de nossos corações. Porém, Cristo quer em cada um de nós um coração convertido, que tenha a coragem e a altivez de se renovar e de se abrir ao amor, à solidariedade, ao perdão e à justiça.

Neste Tempo do Advento, que nós saibamos acolher o Salvador que nos vem, que chega para nos inserir no Reino de Deus, para nos livrar do pecado e da morte, para que possamos ouvir a sua voz, que nos chama, como chamou Pedro e André, Tiago e João, além dos outros apóstolos, que deixaram tudo para O seguir.

Que nós também possamos deixar de lado os nossos medos, as nossas angústias, a nossa solidão, para, sem olhar para trás, seguir o Bom Pastor, não perdendo de vista a estrela que nos guia até Ele, como guiou os Magos, que vieram do Oriente para adorar o Menino que nasceu para ser Rei.

O Tempo do Advento abre diante de nós as suas cortinas. Convida-nos para a recepção daquele que vem em nome do Senhor. Do fruto bendito que o Santo Espírito alojou no ventre de Maria de Nazaré, mãe do Filho Unigênito de Deus e nossa mãe.

Estejamos preparados para louvar e bendizer o Emanoel, a Luz que brilha nas trevas, o Cristo de Deus que tem para nos dar a água da vida eterna.

O Tempo do Advento está à nossa porta. Jesus está à nossa porta. Abramos a porta do nosso coração para que Ele entre de mansinho e ali faça morada. E que o nosso coração, abrindo-se para o Menino Jesus, possa também se abrir para todos os nossos irmãos e as nossas irmãs.

No Tempo do Advento precisamos saber percorrer o verdadeiro caminho que nos leva ao encontro do Menino Jesus. Muitas vezes, no Advento, esse caminho fica tumultuado e até mesmo desvirtuado por inúmeros afazeres e preparativos para uma festa que pode não traduzir o grande e verdadeiro significado do Natal. Na espera do nascimento de Jesus, Maria, sua mãe, se colocou a serviço de sua prima Isabel. Que como Maria, também, hoje, neste Advento, saibamos nos colocar a serviço daqueles que mais precisam de nós, e não apenas nos preocuparmos com os presentes e as ceias natalinas.

Advento é caminho de uma espiritualidade encarnada. É tempo de desapego e de despojamento. Que possamos compreender o despojamento de Jesus por nós e, assim, possamos imitá-Lo, despojando-nos pelo Reino de Deus e por amor ao próximo.


Arquidiocese 

aracaju

de

Cúria Metropolitana da Arquidiocese de Aracaju

Praça Olímpio Campos, 228, Centro, Aracaju/SE - CEP: 49010-040

E-mail: comunicacao@arquidiocesedearacaju.org / Telefone: (79) 3216-3000