Advento



ADVENTO,


Termo que designa "chegada/espera", deseja fazer com que nos organizemos para recebermos bem o Salvador.


É espera em dois sentidos: a parusia (vinda definitiva de Jesus) e a rememória da Encarnação de Jesus, no ventre de Maria de Nazaré.


A primeira espera é um fato, porque, com nosso encontro definitivo com Jesus, estaremos na Comunidade dos que "alvejaram as vestes no Sangue do Cordeiro", conforme o Apocalipse. A segunda também é real, porque já se deu e nós apenas a revivemos, no Mistério celebrado no rito litúrgico.


Assim, a preparação para o Natal, por meio do Advento, requer de nós três atitudes cristãs:


1. RECONCILIAÇÃO;

2. FÉ NO CUMPRIMENTO PLENO DAS PROMESSAS DIVINAS; E

3. ESPERANÇA IMORREDOURA NO SALVADOR QUE VEM.


Essas atitudes comportam, ainda, a certeza de que o Advento é tempo de Cristo, o Senhor; é, também, tempo do Espírito Santo e instante em que devemos confiar no Deus Misericordioso.

Três Figuras saltam aos olhos: Isaías- profeta da esperança messiânica -, João Batista - precursor do Messias - e Maria, a Serva Fiel, cujo amor fecundo lhe permitiu gerar, na carne, o Filho de Deus.


É tempo de espera alegre, marcada pelo desejo de conversão. Daí a cor roxa.


Peçamos a Jesus, que nasça e renasça na nossa consciência, de modo que haja tempo para a conversão, a tomada de consciência de nossas imperfeições e conformar a vida à fé que professamos.


Feliz Espera!


Jerônimo Peixoto é filósofo, teólogo, advogado e pós-graduado em Metodologia Didática do Ensino Superior. É autor do livro "Memórias de um Cajueiro" e cordelista. Possui ampla atuação no campo religioso e social e também como palestrante.