Arquidiocese apresenta propósitos da Campanha da Fraternidade Ecumênica



Em coletiva de imprensa, realizada na manhã desta sexta-feira, 12, na Cúria Metropolitana, a Arquidiocese de Aracaju fez a apresentação dos grandes objetivos da Campanha da Fraternidade Ecumênica 2021. A edição deste ano escolheu como tema “Fraternidade e Diálogo: Compromisso de Amor”, e o lema “Cristo é a nossa Paz: do que era dividido, fez uma unidade” (Efésios 2, 14). A abertura oficial, na Arquidiocese, ocorrerá na Santa Missa na Quarta-Feira de Cinzas, 17, na catedral metropolitana (espaço provisório, na rua Propriá, 222, Centro).


O arcebispo metropolitano dom João José Costa ressaltou que essa é a quinta edição da CFE, cujo tema remete a uma meta a ser atingida e alcançada por todos nós, através de um diálogo também de compromisso de amor, ou seja, viver o amor é a nossa meta enquanto cristãos. Dom João disse ainda que o lema da campanha lembra a passagem do Evangelho quando Jesus vai dizer: “Pai, que todos sejam um como eu e tu somos um”. Então, viver essa unidade é a meta fundamental para todo cristão, batizado, para todos, todos os filhos e de Deus. Então, a unidade entre todos, embora sejamos muitos, forma um só corpo, disse Dom João.


O padre Adriano Andrade, assistente eclesiástico da Equipe de Campanhas, destacou que não existe fraternidade se não houver dialogo, e nesse contexto, o respeito à vida deve ser o centro das relações humanas, respeitando todas as diferenças, sejam elas religiosas e de raças, “pois, esse diálogo gera o compromisso que nos leva da caridade, do amor, do próprio Cristo que nos leva a dar a vida pelo irmão.”


O coordenador da Equipe de Campanhas, na Arquidiocese, Marcos Roberto, informou que durante o período quaresmal a temática da campanha será abordada em todas as comunidades paroquiais, movimentos, pastorais e novas comunidades. Ele ressaltou que a campanha não ficará limitada ao tempo da Quaresma, mas continuará sendo vivenciada ao longo de todo o ano, seja em ações presenciais nas paroquiais ou através das redes sociais.


José Lourenço, da equipe de Campanhas da Subregião Pastoral II, disse que outra abordagem da CFE 21 será a questão da violência, em seus mais diversos tipos, dentro da perspectiva da falta de diálogo e fraternidade.


Por Cláudio Leite

Fotos: Felipe Bastos e Carlos Barbosa