Arquidiocese de Aracaju acolhe, com alegria, novos diáconos permanentes



A partir deste sábado, 13 de agosto, festa de Santa Dulce dos Pobres, o Clero da Arquidiocese de Aracaju passa a contar com mais nove diáconos permanentes. Para o júbilo do povo de Deus, eles foram ordenados em solene celebração eucarística presidida pelo arcebispo metropolitano, dom João José Costa, na paróquia Nossa Senhora de Guadalupe (bairro Coroa do Meio), e concelebrada por expressivo número de sacerdotes.


Foram agraciados com a ordem do diaconato: Augusto Cézar de Oliveira Lima, Edjan Cruz Alves, Gilvan Pereira de Almeida, José Ediládio da Silva Nascimento, João Paulo Alves dos Reis de Cristo, Joel Lima Pereira, Joeliton Meneses Matos, José Rogério Silva Santos e Maurício Silva Pereira. Eles são procedentes de várias comunidades paroquiais da Arquidiocese, e estão se somando aos 38 diáconos que já exercem seu ministério na Igreja particular de Aracaju.


O período formativo, que contempla estudos de Filosofia e Teologia, ocorreu na Escola Santa Maria. A preparação dos novos clérigos foi acompanhada pelo padre Vadson Monteiro Carvalho, pároco da paróquia Nossa Senhora de Guadalupe e assessor eclesiástico para os diáconos permanentes.


Atribuições


As principais atribuições de um diácono permanente foram destacadas por dom João Costa, na homilia: "Fortalecidos com o dom do Espírito Santo deverão eles ajudar o bispo e seu presbitério no serviço da Palavra, do altar e da caridade, mostrando-se servo de todos. Como ministros do altar irão proclamar o Evangelho, preparar o Sacrifício e repartir entre os fiéis o Corpo e o Sangue do Senhor".


Além disso, segundo dom João, “por mandado do bispo, os diáconos poderão exortar e instruir na sagrada doutrina, presidir às orações, administrar o Batismo, assistir e abençoar os Matrimônios, levar o Viático aos agonizantes e oficiar as Exéquias”.


A cerimônia de Ordenação Diaconal foi enriquecida com a presença de familiares e paroquianos das comunidades de origem dos novos diáconos.