Dom João Costa publica carta de orientação para o Dia Mundial das Missões e dos Fiéis Defuntos



O Arcebispo Metropolitano da Arquidiocese de Aracaju, dom João José Costa, publicou uma carta dirigida aos sacerdotes de nossa Igreja Particular, orientando sobre o Dia Mundial das Missões e o dia dos Fiéis Defuntos. Confira na íntegra:


Reverendíssimos, saudações de paz e saúde em Cristo,


Sabedores de que, principalmente no mês de outubro, a Igreja em todo o mundo, com maior afinco, reflete acerca de sua missão nas suas mais diversas modalidades, necessitando, inclusive, de estimáveis ofertas para a sustentação de suas iniciativas missionárias, por este nosso comunicado, recordo-vos de que nos próximos dias 16 e 17 de outubro, XXIX Domingo do Tempo Ordinário, comemoraremos o Dia Mundial das Missões e da Obra Pontifícia da Infância Missionária, facultando aos reverendíssimos a escolha do formulário próprio do Ofício dominical comum ou para Diversas Circunstâncias n. 14 A e B (Pela evangelização dos povos, pp. 902-904 do Missal Romano). Recordai-vos ainda de que as coletas das missas daquela ocasião (tanto as do sábado quanto as do domingo) deverão ser repassadas integralmente para a Cúria Metropolitana, através de depósito bancário (BANESE, agência 014, conta-corrente 03/128898-5), impreterivelmente, até o dia 29 de outubro. Os depósitos deverão ser devidamente identificados em nome da paróquia ou número da filial, e, após o repasse, uma cópia do comprovante enviado para o setor financeiro da Cúria pelo WhatsApp 79-98012466 ou pelo e-mail financeiro@arquidiocesedearacaju.org.


Aproveitando esta nossa comunicação, instruo-vos acerca do 02 de novembro, Comemoração dos Fiéis Defuntos. Ainda em tempo de pandemia, tenhamos o devido cuidado nas celebrações daquele dia. Neste ano, ao contrário do passado, poderemos celebrar nos cemitérios e nos templos. Porém, que sempre sejam levadas em sensatas considerações as possíveis lotações dos ambientes e a estrita observância aos protocolos sanitários, incluindo o necessário distanciamento social.


Por fim, explicitamos a liberação para realização de procissões, desde que haja, na sua organização, o pertinente cuidado da não-aglomeração e do já acenado distanciamento social. Preceituamos que, tão logo da chegada do cortejo, o povo seja dispersado pela despedida, não tornando a ocupar o interior do templo.


Sempre agradecidos ao Senhor Bom Pastor pela vossa colaboração, abençoamos,


Dom João José Costa, O.Carm.

Arcebispo Metropolitano de Aracaju