Dom João empossa os padres Everson e João Félix na paróquia do Grageru, nesta quinta, 10



A partir desta quinta-feira (10), memória de Santa Escolástica, todas as necessidades pastorais da paróquia Sagrado Coração de Jesus, no bairro Grageru, passam a contar com a assistência dos padres Everson Fontes Fonseca, como pároco, e João Félix Neto, como vigário paroquial. A Santa Missa de posse e apresentação ocorre às 19h, sob a presidência do arcebispo metropolitano de Aracaju, dom João José Costa, que dirige um convite especial aos paroquianos.


Nos últimos oito anos, essa comunidade paroquial esteve sob os cuidados do padre Cláudio Dionízio Rocha Santos, que foi transferido para a paróquia Bom Jesus dos Navegantes, na Atalaia Nova (Barra dos Coqueiros-SE).


Nova missão em sete anos de vida sacerdotal


O padre Everson celebrou sete anos de Ordenação Presbiteral no dia 13 de janeiro. Antes dessa nova missão ele serviu como vigário da paróquia São João Batista, no conjunto João Alves (Socorro-SE). Também coloca à disposição da comunidade do Grageru uma bem sucedida experiência de quase seis anos como pároco da paróquia Nossa Senhora da Conceição (Mosqueiro), seu primeiro rebanho.


“Além da graça providente de Deus, levo a minha humanidade nos defeitos que tenho e nas virtudes que, humildemente, julgo possuir”, disse ao ser questionado sobre sua expectativa em relação ao novo desafio que a Igreja coloca sobre seus ombros. “Para um sacerdote cumprir a sua missão com êxito, não é necessário mais nada: apenas ser sacerdote; o que já é uma riqueza tremenda”, assinalou.


O novo pároco também exerce o ofício de vice-chanceler do Arcebispado, função para a qual foi nomeado em agosto de 2021.


46 anos de sacerdócio agora a serviço da paróquia do Grageru


A paróquia Sagrado Coração de Jesus será ainda favorecida com o carisma e experiência do padre João Félix, de 71 anos de idade e 46 anos de vida sacerdotal. Boa parte do seu ministério foi exercida na Bahia, onde foi ordenado em 19 de março de 1976. Sua transferência para a Arquidiocese de Aracaju ocorreu em 1995. Nos últimos sete anos exerceu o ofício de pároco da paróquia São José e Santa Teresa de Calcutá, no Loteamento Marivan, em Aracaju.


A comunidade paroquial do Marivan, que teve o padre Félix como primeiro pároco, dá testemunho de um pastoreio fiel aos seus compromissos, zeloso de sua vocação e de sua entrega. Todos os seus esforços foram no sentido da materialização da exortação do Papa Francisco para uma Igreja em saída, uma Igreja aberta e acolhedora, sempre indo ao encontro das periferias geográficas e existenciais.