ENTREVISTA: Pe. Alberto Barros: “O Senhor não irá nos abandonar. Tenhamos coragem!”



No dia 30 de setembro deste ano o padre Carlos Alberto Barros, de 38 anos, comemora os seus primeiros oito anos de Ordenação Presbiteral. Desde o mês de janeiro exerce o ofício de pároco da paróquia Santa Luzia e São Benedito (Barra dos Coqueiros-SE), uma comunidade cujo crescimento populacional é proporcional aos desafios pastorais. Um dos grandes incentivadores da sua vocação foi o padre Bosco Lima, que faleceu em julho de 2021.


Como despertou no seu coração o forte desejo acolher o chamado de Deus para o ministério sacerdotal?


Foi por volta dos 18 anos. Frequentava a Paróquia Nossa Senhora Rosa Mística, no Conjunto Marcos Freire 3, município de Socorro-SE. Participava do grupo de jovens e ajudava no serviço do altar como coroinha. Contudo, chamava a minha atenção a disposição do padre nos trabalhos paroquiais. Ele tinha alguns problemas de saúde. Mas, isso não tirava dele a vontade e o vigor de servir ao Reino de Deus. Deus usou o padre para o meu despertar vocacional. Chegou um tempo que fiquei mais interessado a respeito das coisas da Igreja. Buscava conversar com os mais antigos da paróquia, a fim de obter mais conhecimento. Isso chamou a atenção de alguns. Então, me pediram para conversar com o padre sobre essas minhas curiosidades. O padre Bosco Lima (in memoriam), experiente, supondo o que estava acontecendo comigo, pediu para acompanhar, junto com uma ministra extraordinária da Eucaristia, o processo de evangelização de uma comunidade recém-criada. Nesse lugar, rezávamos o terço nas casas, catequizávamos as pessoas, e celebrávamos a Palavra. Foi a partir desse trabalho, que fui discernindo a minha vocação sacerdotal. Partilhei com o padre, e ele pediu que eu frequentasse os encontros vocacionais. Isso era 2005. Em 2006, decidi ingressar no Seminário Propedêutico. E, no ano de 2014, recebi o ministério sacerdotal.


O que mais pesa na sagrada missão de ser as mãos, os pés, os olhos, a mente e o coração de Jesus Cristo?


Acredito que as várias atribuições do exercício sacerdotal desgastam a pessoa do padre. Mas, é um cansaço bom. Fico feliz quando chega o final da última missa do domingo à noite, e chego a conclusão que fiz a vontade de Deus. Que fui instrumento do Senhor, em mais uma semana de evangelização.


Fale-nos do desafio de evangelizar uma das comunidades paroquiais que mais crescem no território da Arquidiocese de Aracaju


A Barra dos Coqueiros é um território paroquial imenso. Temos várias peculiaridades pastorais nesta cidade. Contudo, procuro organizar cuidadosamente todas as dimensões da vida paroquial. Por exemplo: horários definidos para as celebrações da Santa Missa na matriz e nas comunidades (Capelas e Condomínios), confissões, acompanhamentos, visitas aos enfermos e às famílias, reuniões com as pastorais, elaboração de ações missionárias, organização da catequese, além do cuidado com a parte administrativa, financeira e estrutural. Tudo bem organizado e definido para facilitar o pastoreio do rebanho que me foi confiado.


A paróquia Santa Luzia e São Benedito desenvolve alguma ação pastoral voltada para o grande número de condomínios residenciais da Barra dos Coqueiros?


Atualmente, procuramos celebrar a Santa Missa nas casas dos paroquianos que moram nos condomínios. Infelizmente, o regulamento de muitos desses condomínios não permite celebrações nas áreas comuns. Porém, não deixamos de cuidar da evangelização dessas pessoas que moram nessas localidades. Os próprios moradores, que já frequentam a paróquia, nos auxiliam na propagação da vida cristã da nossa comunidade paroquial aos demais condôminos.


Quais são as prioridades da ação evangelizadora na comunidade paroquial que está sob os seus cuidados?


Acolher a todos, mostrando o rosto de Jesus. Cativar a cada um, para que queriam ter uma vivência na comunidade. Formar os paroquianos com uma boa catequese catecumenal. E, por fim, cada um conhecendo a pessoa de Jesus e a sua Igreja, enviá-los para anunciar a vida com Cristo, àqueles que ainda não fizeram uma experiência com o Senhor. Seja na família, no trabalho, na faculdade ou escola, nos grupos, nas redes sociais, etc. O importante para a paróquia, no atual momento, é trazer pessoas para o Reino de Deus.


Quais são os seus santos de devoção?


Nossa Senhora de Fátima e o Apóstolo São Paulo.


Uma mensagem de esperança para o povo de Deus


“Olhos fixos em Jesus” (Hb 12,2). O senhor não irá nos abandonar. Tenhamos coragem! Estamos passando por momentos difíceis. Porém, depois da tempestade vem a bonança.