ENTREVISTA – Pe. Fagner: "O principal entrave para a missão é o perigoso afastamento da oração"



O padre Johannes Fagner Sousa Santos, de 30 anos de idade, vive as primícias do seu fecundo ministério sacerdotal. No dia 14 de fevereiro deste ano ele alcançou os seus primeiros dois anos como ministro ordenado. A paróquia São Mateus, na Aruana (Aracaju), é, também, a primeira comunidade que assumiu como pároco. Ele ainda exerce as funções de Vice-chanceler da Cúria Metropolitana e Assessor Eclesiástico para o Setor Juventude.


O que o motivou a se tornar padre?


Senti-me chamado pela primeira vez assistindo uma pregação pela TV, através da Canção Nova. Minha mãe tinha ligado a televisão para ouvir a Missa enquanto cuidava dos afazeres da casa, e eu acabei ouvindo também. Não foi uma simples escuta, aquelas palavras realmente arderam em meu coração. Após este episódio, minha vocação foi fortalecida e confirmada através da vivência na paróquia, especialmente no serviço do altar, como coroinha.


Quais foram os principais desafios enfrentados em seu itinerário vocacional?


As corriqueiras dúvidas da juventude sempre nos impõem desafios, não foi diferente comigo. Uma base familiar sólida, aliada à fé e ajuda dos amigos foram fundamentais para o meu amadurecimento vocacional.


Conte-nos da sua experiência na primeira comunidade paroquial que o senhor assumiu como padre?


A Paróquia São Mateus está sendo um verdadeiro presente de Deus para o meu ministério. Não saímos do seminário com modelos prontos de sacerdócio, aprendemos a ser padres na prática, no constante relacionar-se com os irmãos. A busca pela vivência da fraternidade e cooperação na evangelização tem sido a base destes meus dois anos como presbítero. Sendo uma paróquia multifacetada, com vários perfis, sou desafiado todos os dias a buscar com criatividade novos modos de evangelizar. A pastoral nos condomínios é uma verdadeira jóia das áreas urbanas, por trás das dificuldades inerentes a esta pastoral, encontramos inúmeras oportunidades de reinventar nosso modo de pensar, ver e agir.


O que é ser um padre segundo o Coração de Jesus?


Uma das caraterísticas do “ser padre segundo o coração de Jesus” é a disposição na escuta diária de Cristo. “Deus conosco” fala, comunica, e essa comunicação é viva, capaz de nos rejuvenescer em cada movimento de nossa alma na vivência da vocação. Uma fala e uma escuta cheias de amor, não pode ser diferente, Deus é Amor.


Quais os desafios para manter a Igreja em permanente estado de missão?


O permanente estado de missão está fundamentado na inquietação provocada pelo Evangelho, uma igreja acomodada deixou de ouvir a Jesus. O principal entrave para a missão é o perigoso afastamento da oração. Quando oramos somos tocados pelo próprio Deus, e é esse toque que nos desperta para a realidade do socorro dos mais vulneráveis.


Quais são os seus santos de devoção?


Santa Faustina e São João Paulo II


Uma passagem do Evangelho segundo Mateus que inspira o seu ministério sacerdotal.


“Vós sois o sal da terra […]. Vós sois a luz do mundo.” (cf. Mt. 5, 13-14)