ENTREVISTA – Pe. Felipe Serafim, CRsR: “É urgente o desafio de assumir a missão de Cristo no mundo”



Missionário redentorista, o padre Felipe Serafim dos Santos, CRsR., é pároco da paróquia Nossa Senhora Aparecida (Aparecida-SE), primeira comunidade que assumiu em pouco mais de 1 ano como ministro ordenado. Sua história vocacional, a força do carisma da Congregação do Santíssimo Redentor e os desafios da sua missão em solo sergipano são alguns dos temas abordados nesta breve entrevista.


Em breves palavras, conte-nos sobre sua história vocacional


A minha história vocacional se dá a partir da escola, na alfabetização, administrada pelas Filhas da Caridade de São Vicente. Foi o pontapé inicial da minha formação intelectual e religiosa. A partir da vivência com as irmãs e depois no engajamento da pastoral paroquial, na Pastoral da Juventude, Catequese e empenho na comunidade, percebi que Deus me chamava para algo além. Conversei na época com o vigário paroquial, que me motivou entrar em contato com a promoção vocacional dos Redentoristas. Antes de ter este contato fui para o “despertar vocacional”, onde acontece um encontro vocacional apresentando várias congregações, mas, realmente, só me via com o carisma redentorista. Vale ressaltar que a minha paróquia de origem é administrada pelos redentoristas. Na época, o promotor regional era o meu pároco, que facilitou o contato e acompanhamento vocacional.


Entrei para a congregação no ano de 2009 na cidade de Arapiraca-AL para fazer o aspirantado (propedêutico). No ano seguinte o postulantado, o período do estudo da filosofia, depois, em 2013, o noviciando, fazendo a profissão religiosa em janeiro de 2014. Nos quatro anos seguintes estudei Teologia em São Paulo, depois voltei para o estágio pastoral, e, em 21 de março 2021 fui ordenado Presbítero e designado para a missão na cidade de Nossa Senhora Aparecida-SE e até então estou pároco.


Por que decidiu ser religioso da Congregação do Santíssimo Redentor?


Como falei acima, sou natural de uma paróquia administrada pelos Missionários Redentoristas. Então, tendo como base a formação com as irmãs vicentinas e os padres redentoristas, acabei ingressando na congregação, já que tudo concorria para ser missionário. Até mesmo o Santo da minha comunidade, onde eu exercia atividade pastoral, era um Santo Redentorista, São Geraldo Majella. De modo que já estava embebido da espiritualidade e carisma da congregação. E com a chegada de novos padres na paróquia e animação, houve uma maior aproximação dos jovens e busca para discernir seu chamado a partir do carisma redentorista.


Qual o carisma que define o trabalho do missionário redentorista?


O Redentorista assume a missão de Cristo no mundo, conforme definimos o nosso jeito de ser em nossa Constituição nº 20: “Os Redentoristas são fortes na Fé, alegres na esperança, fervorosos na caridade, inflamados no zelo, humildes e sempre dados à oração (...) seguindo contentes a Cristo Salvador, participam de seu mistério e anunciam-no com evangélica simplicidade de vida e de linguagem, pela abnegação de si mesmos, pela disponibilidade constante para as coisas mais difíceis, a fim de levar aos homens a Copiosa Redenção”.


Quais os grandes desafios da missão redentorista na cidade de Aparecida - SE?


Os grandes desafios da missão em Aparecida – SE são o grande número de comunidades que temos e como ajudar na formação humana, religiosa e o senso de responsabilidade com a vida da comunidade. A pandemia dificultou muito mais esta proximidade e o processo de formação pastoral e movimentos, levando também em conta a distância entre as comunidades e o fato de não ser fácil uma integração entre estas. Mas, aos poucos vamos aliando e organizando a vida e a evangelização de nossa paróquia.


Como o senhor define a grande devoção da comunidade católica da cidade de Aparecida - SE a excelsa padroeira do Brasil?


A devoção do povo aparecidense a Nossa Senhora Aparecida é marcada pelo amor a Mãe de Deus e a identificação com ela no sentido de proximidade de mãe, especialmente mãe do Brasil, sendo Maria aquela que os ajuda no caminhar da vida, com suas tristezas e incertezas. Maria fugiu para o Egito, intercedeu a seu filho no milagre bodas de Caná, e é aquela que intercede e está junto do seu povo. Quantas vezes encontramos os devotos rezando e contando suas necessidades e preocupações a ela. Romeiros e filhos ausentes vêm, sempre que possível, agradecer e pedir por um novo tempo em sua vida. Expressão de fé e de amor a Mãe Aparecida que os conduz a Jesus filho de Maria.


Uma mensagem de fé e esperança para o povo de Deus.


Apesar dos desafios que estamos enfrentando, recordemos do povo de Deus que, saindo em direção da terra prometida, enfrentou muitos desafios no caminhar. Que, confiantes em Deus, possamos ser firmes na Fé, alegres na esperança, fervorosos na caridade, inflamados no zelo, humildes e sempre dados à oração. E que Nossa Senhora Aparecida rogue a Deus por cada um de nós e por nossos familiares e nos cumule de muitas bênçãos. Paz no Santíssimo Redentor!