ENTREVISTA - Pe. Manoel Barbosa: "Amor à missão da Igreja, mesmo quando esta exige martírio"



O padre Manoel Barbosa Santos exerce o seu ministério como pároco da paróquia São Pedro e São Paulo, no bairro 13 de Julho, em Aracaju, desde 2017. Ao longo de 28 anos de sacerdócio, ele exerceu funções de relevo na Arquidiocese, como a de vigário geral e pároco da Catedral Metropolitana. Sua caminhada começou como religioso da Sociedade das Divinas Vocações. O entrevistado deste sábado também é assessor eclesiástico das Pastorais sociais.



Padre Manoel, como nasceu e se consolidou o desejo de abraçar o ministério sacerdotal?


Sou de família católica. Minha mãe era do Apostolado da Oração, e o meu pai era dado à religiosidade popular. Meu pároco, padre José Manoel Araújo, era um incentivador das vocações.


Como foi sua experiência como religioso vocacionista? Durante quanto tempo permaneceu vinculado à Sociedade das Divinas Vocações?


Permanecí por 20 anos, em média, como vocacionado, depois religioso consagrado e mais seis anos como sacerdote. Foi uma ótima experiência nos campos da formação, missão e espiritualidade.


Onde estão as marcas do seu ministério na Arquidiocese de Aracaju?


Acho que sou suspeito para comentar sobre isso. Porém, destaco minha contribuição nos seminários; na evangelização, por meio da Rádio Cultura; nas ações pastorais da Arquidiocese, e na administração passada.


Como o senhor pretende ajudar na caminhada das Pastorais Sociais da nossa Arquidiocese, na condição de Assistente Eclesiástico?


Como assessor mesmo, tornando-me um cirineu na caminhada, primando pela formação, pela espiritualidade e por um apostolado mais lúcido.


Quais os grandes desafios das Pastorais Sociais?


São os que citei acima, além da necessidade de criar comunhão, sem abrir mão de uma postura que faça jus aos ensinamentos do Papa Francisco.


Conte-nos um pouco da sua experiência como pároco da paróquia São Pedro e São Paulo


É uma experiência que me ajuda a ser mais padre, pelo exercício da caridade pastoral.


Poderia nos indicar alguns ensinamentos desses dois grandes apóstolos (São Pedro e São Paulo) para os cristãos de hoje?


Amor à missão da Igreja, mesmo quando esta exige martírio, e integridade na pregação do Evangelho, com ternura, mas sem negociá-lo.