Há 69 anos, Aracaju sediava um grande encontro regional de bispos



No período de 25 a 28 de agosto de 1952, há exatamente 69 anos, a Arquidiocese de Aracaju sediava um evento de grande magnitude, convocado por Dom Fernando Gomes, segundo bispo diocesano: o Encontro Regional dos Bispos do Vale do São Francisco e da Zona de Influência da Usina Hidrelétrica de Paulo Afonso. O local escolhido foi o prédio anexo à Rádio Cultura de Sergipe, onde funciona provisoriamente a Catedral Metropolitana.

A cidade de Aracaju ficou perplexa com a presença de tantos bispos, entre eles, o Núncio Apostólico, Dom Carlos Chiarlo; Dom Augusto Álvaro e Silva, Arcebispo da Bahia e Primaz do Brasil, posteriormente, Cardeal; Dom Ranulfo da Silva Farias, Arcebispo Metropolitano de Maceió, a cuja metrópole estava ligada a Diocese de Aracaju, e ainda outros arcebispos e bispos, somando um total de 22.

Era desejo de Dom Fernando Gomes que a energia produzida pela CHESF fosse utilizada, preferencialmente, pela população da região para acionar o desenvolvimento de todos os municípios ribeirinhos tornando-os, pela irrigação, produtores de frutas e legumes para abastecerem o Nordeste e o Brasil e também para que os nordestinos tivessem trabalho em abundância. Assim, ele pensava também na fixação dos nordestinos no Nordeste sem que viessem a migrar para o Sul, onde nem sempre são bem sucedidos. Então, a água do São Francisco e a eletricidade por ela produzida seriam, na visão de Dom Fernando, a redenção do Nordeste brasileiro.