Igreja celebra os 72 anos do SAME - Lar de Idosos Nossa Senhora da Conceição



Com um profundo sentimento de gratidão a Deus, a Arquidiocese de Aracaju celebra, nesta quinta-feira (12), os 72 anos de fundação do SAME (Lar de Idosos Nossa Senhora da Conceição), uma das mais fecundas e expressivas obras sociais da Igreja. A instituição foi fundada em agosto de 1949 por dom Fernando Gomes, segundo bispo diocesano de Aracaju, com o objetivo de socorrer os mendigos que lotavam as ruas da capital, vindos do interior e de outros estados nordestinos. Esse propósito inicial está contido na própria sigla da obra: Serviço de Assistência à Medicância (SAME).


Hoje, a atuação prioritária da instituição é o acolhimento de idosos pobres, em regime asilar. Com um estatuto adaptado à essa nobre finalidade, o SAME passou a denominar-se Lar de Idosos Nossa Senhora da Conceição, com natureza beneficente e filantrópica, sem fins econômicos e lucrativos, de caráter assistencial, de longa permanência para pessoas idosas. Sua manutenção é fruto, tão somente, da generosidade da população, amigos, contribuintes e voluntários. Apesar das enormes limitações impostas pela pandemia e da redução significativa de doações, o SAME se mantém determinado na missão de proporcionar uma vida digna para 60 idosos, entre 70 e 104 anos de idade.


Preparando-se para acolher mais idosos


O espaço físico da instituição está sendo ampliado para permitir o acolhimento de mais 15 pessoas idosas pobres, em regime asilar. A concretização desse novo projeto também ocorre por meio de doações da própria comunidade. “A ajuda financeira da população permitirá a conclusão da obra sem atrasos e, assim, possibilitará o acolhimento desses idosos, o mais breve possível”, pontua o diácono permanente Antônio Costa Almeida, diretor-presidente do SAME. O presidente honorífico da instituição é o arcebispo metropolitano, dom João José Costa.


Ação de graças


Uma santa missa em ação de graças pelos 72 anos do Lar de Idosos Nossa Senhora da Conceição ocorrerá neste sábado (14), às 15h, sob a presidência do arcebispo emérito, dom José Palmeira Lessa. Por conta da pandemia, a celebração terá a participação apenas de um pequeno grupo de idosos e alguns membros da diretoria do SAME.