Maria, Mãe Imaculada, e o desejo de um coração purificado



Desde toda eternidade, Deus amou Maria, concebendo-a na vida dos seus pais, Joaquim e Ana. Nos seus mistérios insondáveis, Deus a preservou da mancha do pecado original, desta inclinação ao mal presente na trajetória humana, cada vez que não ouvimos a voz de Deus, desobedecemos e nos escondemos da sua presença amorosa. Sob o peso do pecado original, permanecemos escravos de nós mesmos, das vaidades, dos orgulhos e egoísmos que desfiguram a beleza originária que recebemos de Deus no momento sublime da criação: Façamos a pessoa humana à nossa imagem e semelhança (Gn. 1,26).


Em Maria Santíssima esta mesma imagem e semelhança resplandece em todo seu esplendor, pelos copiosos méritos do seu santo nascimento. Ao contemplar Maria Santíssima, o coração humano deseja ardentemente a purificação de tudo aquilo que macula a nossa vida de cristãos. Ao criar o coração humano, Deus o preencheu com as virtudes divinas, com a bondade e com a ternura recordadas ainda nos melhores sonhos que acalentamos.


E assim entrando no nosso coração, temos saudades de como ele era, de como o recebemos das mãos de Deus. Tínhamos um coração generoso, aberto a Deus e aos irmãos. Tínhamos um coração repleto de compaixão. E, aos poucos, este lindo coração foi sendo manchado pelas marcas do pecado, pelas decepções, pela avareza, pela ganância e pela cobiça.


Maria Santíssima reaviva em nós este desejo de Deus. A Santa Mãe Imaculada destrói as mordaças impostas pelo pecado, de modo que podemos rezar dizendo Eu quero o meu coração puro! A Santa Mãe Imaculada reza conosco para que peçamos a Deus o coração puro das bem-aventuranças presentes no Evangelho de Mateus (5,8): Bem-aventurados os puros de coração porque verão a Deus.


Na vida de Maria Santíssima transborda sem cessar toda a plenitude das bem-aventuranças. A Santa Mãe Imaculada pede que vivamos tais alegrias divinas. Sem um coração puro não enxergamos a presença de Deus em toda nossa vida. Quando não o enxergamos tudo ao redor perde cores, se torna opaco e sombrio. Deus infunde no coração humano as belas cores da salvação para purificá-lo.


Foi o que aconteceu conosco no dia que recebemos o santo Batismo e é o que acontece na vida das pessoas que recebem este sacramento. Amar o Batismo é a oferta que devemos entregar a Deus neste dia memorável no qual através de Maria, Deus chama a cada um de nós para que não tenhamos medo de conservar as graças que d’Ele recebemos, de ser purificados, e de viver como imaculados.


Pe. João Claudio é pároco da paróquia Nossa Senhora Aparecida (Bairro Farolândia, Aracaju)