• Pe. João Claudio

Onde está Deus?



Quando entramos em 2020 todos fizemos os nossos próprios planos, mas nem sempre nos dirigimos a Deus perguntando-lhe: “Senhor que queres que eu faça”. Normalmente temos o hábito de levar os planos prontos e pedir a Deus apenas que assine todos sem qualquer restrição. E ainda se alguma coisa não acontece como planejado criamos revoltas contra Deus, mostrando-lhe o quanto somos bons e que merecíamos ser atendidos da forma como tínhamos exigido. É preciso superar a tentação das relações mercantilistas com Deus. A intensidade da nossa oração não deve ter o objetivo de convencer a Deus para que cumpra as nossas vontades, mas deve criar no coração a postura de Maria que somente diz: “Eis-me aqui" (Lucas 1,38).


Talvez durante os primeiros meses do ano que agora estamos concluindo, nada despertou no coração o verdadeiro clamor a Deus. Seguimos a vida como donos de nós mesmos, traçando os caminhos como se fôssemos a nossa própria salvação. Lembramos o trecho do Evangelho de Mateus no qual Pedro caminhando sobre as águas acredita que não precisa mais ser conduzido por Jesus. Pedro acredita que já sabe tudo e que ouvir Jesus é algo secundário. De repente as águas deste ano de 2020 se tornaram mais agitadas e sobretudo a partir do mês de março tivemos a mesma sensação de Pedro de que estávamos afundando nos mares das incertezas, das dúvidas e do desespero, e como Pedro gritamos: “Senhor, salva-me!” (Mt.14,30).


Enquanto o mar das dificuldades nos empurrava de um lado para outro, inúmeras perguntas povoam o coração. Assim perguntamos várias vezes: Onde está Deus? Será que Deus não está vendo o que está acontecendo? A difusão do coronavírus no Brasil e no mundo, entristeceu o coração de Deus. A tristeza da morte de duzentas mil pessoas no Brasil que perde os pais e mães, filhos e filhas, irmãos e irmãs. A tristeza que toca o coração de Deus é aquela do Livro do Gênesis contida nesta inevitável pergunta: “Onde está o teu irmão?”. É esta a pergunta que devemos sempre fazer a nós mesmos. Antes de perguntar ‘Onde está Deus?’, devemos perguntar: O que estamos fazendo uns com os outros? Estamos crescendo no amor e na fraternidade entre nós? Somos bons canais da misericórdia e da paz? (cf. Gênesis 4,9).


E onde está Deus? Na verdade Deus está muito ocupado. Deus está com as pessoas que estão passando mal por conta da insuficiência respiratória. Deus está soprando sobre estas pessoas e consolando as famílias para que não desanimem. Deus está sustentando os enfermeiros, os médicos e os demais profissionais da saúde em plantões ininterruptos nos hospitais sucateados, sem material de trabalho adequado e com salários defasados. E Deus está levando para casa as pessoas que receberam alta e ainda caminhando com as outras que entram nos prados verdejantes da eternidade, onde não há dor nem sofrimento. Deus está na rua com as pessoas famintas e aguarda um pouco de comida. Deus está nas Igrejas, alimentando-nos e enviando-nos para alimentar as pessoas com a Palavra, vesti-las com a graça e curá-las com o amor. Eis a missão para este ano de 2021: Deus nos envia para cuidar uns dos outros, como somos cuidados por Ele com o seu imenso amor (cf. Mateus 25, 1ss).


Pe. João Claudio é pároco da paróquia Nossa Senhora Aparecida (Farolândia)

Arquidiocese 

aracaju

de

Cúria Metropolitana da Arquidiocese de Aracaju

Praça Olímpio Campos, 228, Centro, Aracaju/SE - CEP: 49010-040

E-mail: comunicacao@arquidiocesedearacaju.org / Telefone: (79) 3216-3000