Padre José Luiz destaca projetos de formação para catequistas e ministros da Palavra



A comissão do “Pilar da Palavra”, na Arquidiocese de Aracaju, estabeleceu como prioridade para este ano a materialização de dois grandes projetos formativos voltados para os ministros da Catequese e da Palavra. Essa informação foi apresentada pelo padre José Luiz da Silva, vigário da paróquia São José de Anchieta (conjunto Augusto Franco) e assistente eclesiástico da Dimensão Bíblico-Catequética, em entrevista com o arcebispo metropolitano, dom João José Costa, sábado (5), no programa “A Voz do Pastor” (Rádio Cultura de Sergipe).


Vários encontros envolvendo toda a Arquidiocese


Ele enfatizou que, na perspectiva de valorização e capacitação desses dois importantes

agentes de propagação da Palavra, a comissão está preparando uma série de encontros, seminários e várias outras atividades, envolvendo os quatro vicariatos da Arquidiocese. O padre José Luiz acentuou que, caso não ocorram restrições por causa da pandemia, todos os eventos formativos serão presenciais.


Documento 108 da CNBB


As iniciativas voltadas para os ministros da Palavra, segundo o sacerdote, terão como inspiração o Documento 108 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil. “Essa fonte apresenta as linhas básicas e diretrizes gerais para a elaboração de um plano de formação e acompanhamento dos ministros da Palavra de Deus, considerando os desafios e as realidades concretas da Arquidiocese de Aracaju”, observou o crérigo.


Formação para os ministros de Catequese


O padre José Luiz também informou que o calendário formativo do “Pilar da Palavra” vai contemplar os ministros da Catequese com uma nova edição do ECIC - Encontro de Catequese de Iniciação à Vida Cristã; novas atividades na Escola Bíblico-Catequética Paulo VI; a celebração do Dia do Catequista (último domingo de agosto), e ainda com uma grande missão bíblico-catequética, em nível de Arquidiocese, numa comunidade paroquial a ser definida.


Reconhecimento e valorização do Catequista


Na entrevista com o arcebispo, o sacerdote também destacou o extraordinário significado do “motu próprio” Antiquum Ministerium, pelo qual o Papa Francisco institui o ministério de catequista. Com ele documento, o Sumo Pontífice estabelece formalmente o Ministério laical de catequista, reconhecendo a dimensão vocacional de homens e mulheres que dedicam suas vidas à instrução catequética.