Vida e obra de Dona Bebé inspiram filme que pode ser premiado em Gramado



A empresa cinematográfica Cine Curta, de Aracaju (SE), está concluindo as gravações do filme longa metragem (duas horas de duração) que conta a história de vida de Genésia Fontes, mais conhecida como “Dona Bebé do Oratório”. A meta é realizar a pré estreia em fevereiro de 2022 na capital sergipana e o lançamento em março do mesmo ano. A produção vai disputar um “Kikito”, no Festival de Cinema de Gramado (RS).


A produção do filme, dirigido por David Kleiton, tem no elenco cerca de 200 atores formados e figurantes, em sua quase totalidade de Aracaju, Riachão do Dantas, Laranjeiras e Propriá. Entre os artistas está Gení Carvalho, atriz e produtora. Ela interpreta Bebé na quarta e última fase do filme, a ser gravada nesta quarta-feira, 22.


O filme é baseado no livro “Dona Bebé do Oratório – Uma mulher de Deus e mãe dos pobres”, de autoria do padre Isaias, e algumas outras pessoas ouvidas pela equipe de produção. Segundo Geni, a história de Dona Bebé é contada através de gravações realizadas em Riachão do Dantas (terra natal de Genésia Fontes), Aracaju (onde ela exerceu intensas atividades no oratório e no Hospital São José), Propriá e lagarto.


Quem foi Dona Bebé


Genésia Fontes nasceu em 22 de setembro de 1890 e faleceu no dia 14 de setembro de 1960, vítima de um acidente ocorrido na Rua João Pessoa, em Aracaju. O seu trabalho social continua vivo e as suas ações estão na lembrança de muitos sergipanos.


Dona Bebé era uma mulher de origem humilde e isso pode ter lhe despertado a vocação, ainda na juventude, para cuidar da educação de crianças e adolescentes de classe baixa e órfãos.


Conforme o livro publicado pelo padre Isaias, o trabalho dela em favor dos mais pobres teria iniciado em 1914, em uma choupana, construída com o auxílio de doações de pessoas da comunidade. Em um curto espaço de tempo, apenas 4 anos, cerca de 300 crianças e adolescentes já estavam recebendo assistência social, orientação educacional, religiosa e musical, além de servir como internato para órfãos.


Já com a idade avançada, Dona Bebê, pediu ajuda ao então de bispo de Aracaju, Dom Fernando Gomes, que conseguiu colocar a Congregação das Irmãs Ministras dos Enfermos de São Camilo (Camilianas), em 1852, para atuar junto com Bebé. O seu oratório funciona ainda hoje na avenida desembargador Maynard.


Sinopse: O filme conta a história de Genésia Fontes mais conhecida como ”Dona Bebé do oratório” um exemplo de solidariedade e caridade que dedicou sua vida a acolher e cuidar das crianças e jovens carentes da cidade de Aracaju, um desejo que despertou desde sua adolescência, sua pureza e dedicação, tocava e comovia a todos que a conhecia, e apesar de todas as dificuldades para manter sua obra nunca abandonou a fé, nem seu amor ao próximo.


Por Eugênio Nascimento - blogprimeiramao.com.br